brasão - Samouco

Escudo de Ouro (representa a luz que ilumina as inteligências e significa a fé, a pureza, força e determinação).

Em chefe, uma harpa a púrpura, significando o contributo do movimento associativo local para a elevação dos padrões de cultura na região, homenageando ainda a filarmónica local, no seu papel de iniciação e educação dos jovens na arte musical. (A púrpura está associada à sabedoria e à ciência, são meios de atingir pela razão uma dignidade especial, uma autoridade que contém um significado de respeito e dever). Dois cavalos marinhos de verde, representação simbólica das atividades que se desenvolveram ao longo dos séculos protagonizadas pelo aproveitamento dos recursos marítimos (o verde significa a abundância que é a antítese da miséria e da fome, contendo ainda a ideia da liberdade).

Pipa de vinho em vermelho, outra das atividades económicas dos povos desta região da “outra banda”, era a produção do afamado vinho do Samouco que chegou a ser exportado nas naus da Índia, facto que justifica a presença de um equipamento com estas características e utilizado na armazenagem do vinho. (A sensação forte do vermelho sugere o fogo, a energia criadora, um sentimento misto de euforia e alegria).

Em contra-chefe, faixetas ondadas de azul e prata, simbolizam o facto da freguesia ter como fronteira natural o Rio Tejo através do qual se relaciona com a vasta área metropolitana de Lisboa. Coroa natural de três torres de prata. Listel branco, com legenda a negro, em maiúsculas. “Samouco – Alcochete”. BANDEIRA: azul. Cordão e borlas em ouro e azul. Haste e lança de ouro.