Etiqueta: artesão

Exposição “Margarida de Papelão” – de 17 a 24 de Novembro na Junta de Freguesia

Continuando o trabalho de promoção do artesanato, o Salão Nobre da Junta de Freguesia do Samouco recebe, de 17 a 24 de Novembro, a exposição “Margarida de Papelão”, de Paula Margarida Pimentel.

A exposição, que apela para a importância da reciclagem e onde os materiais ganham vida num mundo de fantasia, poderá ser visitada nos dias de semana das 10h00 às 12h00 e das 14h30 às 17h00, sábado e domingo das 15h00 às 18h00.

Sendo esta a primeira vez que esta exposição estará aberta ao público, não pode deixar de ser motivo de orgulho para a Junta de Freguesia o facto da artesã pretender dar a conhecer o seu trabalho na nossa vila.

Uma exposição que, decerto, não vai querer perder.

Esperamos por si!

Exposição “Embarcações do Mundo e outras colecções”

Por Jorge Manuel Rocha de Oliveira Rezendo, habitante do Samouco, que nasceu na zona histórica de Alcochete.

Por esse motivo, desde pequeno, desenvolveu uma adoração especial pelo mar e por barcos, facto este que é fortemente incrementado pela profissão do seu pai, que era calafate. Ao longo de muitos anos, Jorge Rezendo habituou-se a ver seu pai a calafetar (tapar) as juntas do casco de qualquer embarcação em madeira e estopa (linho ou sisal) para tapar as referidas juntas entre o tabuado, levando depois um banho de breu (alcatrão) para a impermeabilização das mesmas, tendo o mesmo trabalhado em diversos estaleiros. O último e durante mais de vinte anos no estaleiro Jaime Ferreira da Costa, em Sarilhos Pequenos, actualmente Estaleiro Naval de Sarilhos Pequenos Jaime Ferreira da Costa e Irmão, Lda., pertença do filho, local onde, por exemplo, foi construída a embarcação célebre de Alcochete, o Bote Leão.

A sua adoração era de tal forma intensa que, depois das aulas, passava o seu tempo no referido estaleiro e, consequentemente, junto ao mar e aos barcos, tendo adquirido o gosto pela construção de embarcações, através do modelismo naval e, mais recentemente, como artesão na construção da réplica do Bote Leão.

Torna-se também um apaixonado pelo coleccionismo, fazendo colecções de tudo um pouco, desde carros, cromos, banda desenhada, soldados de chumbo, baralhos de cartas, canetas, isqueiros, entre outros, tendo descoberto, mais recentemente, a paixão pela fotografia.

Por volta do ano de 1972, com dezoito anos de idade, começa a frequentar o Samouco, nos bailes da Sociedade e do Clube, motivo que o leva a dizer que: “foi através desses bailes que por aqui fiquei, ou seja, aqui namorei, aqui casei, aqui fui pai, aqui fui avô e aqui estou.”

Com esta exposição, Jorge Rezendo, que também adoptou o Samouco como a sua terra, pretende dar a conhecer os seus trabalhos e algumas das suas colecções, facto este que constitui motivo de orgulho para a Junta de Freguesia de Samouco.

“Embarcações do Mundo e outras colecções” pode ser visitada de 16 a 28 de Fevereiro, no Salão Nobre da Junta de Freguesia do Samouco.