Etiqueta: centro de saúde

Junta de Freguesia do Samouco: centro de saúde

Centro de Saúde do Samouco retoma a atividade a partir de 1 de junho

Foi com uma satisfação enorme que recebemos a informação que a Extensão do Centro de Saúde de Alcochete no Samouco irá retomar a atividade e voltar a prestar os seus serviços à nossa população a partir do próximo dia 1 de junho. 

Esta era uma notícia que, há muito, desejávamos receber pois a população do Samouco não poderia continuar a ficar privada, na sua terra, dos cuidados de saúde numas instalações que consideramos de excelência. 

De acordo com a informação do Diretor do ACES Arco Ribeirinho, Dr. Miguel Lemos, esta decisão deve-se à “diminuição do fluxo de utentes que têm procurado os serviços da ADC – Samouco (Área Dedicada de Avaliação de Doentes COVID-19) “, facto este que nos leva a acreditar que os indicadores são, neste momento, bastante positivos relativamente à pandemia da doença COVID-19. 

Aproveitamos para informar que se mantém em funcionamento o ADC de Coina, onde passou a funcionar um posto de colheitas COVID-19, em que será possível aos utentes, após observação, realizar o teste no momento. 


Da parte do executivo da Junta de Freguesia do Samouco, queremos agradecer e reconhecer a forma como a nossa população encarou e reagiu ao facto de ficar privada do normal acesso aos cuidados de saúde e informar que poderá continuar a contar com a nossa colaboração e total empenho para reivindicar e encontrar as melhores soluções na concretização de uma efetiva prestação de cuidados médicos que dê resposta às necessidades dos residentes na vila do Samouco e na defesa dos serviços públicos de saúde de qualidade. 

Junta de Freguesia do Samouco: centro de saúde

NOVAS INFORMAÇÕES: Junta de Freguesia já se reuniu com ACES Arco Ribeirinho

A Junta de Freguesia do Samouco reuniu, esta manhã, com o ACES Arco Ribeirinho e representantes do Centro de Saúde de Alcochete, com vista a procurar esclarecimentos e soluções para o encerramento do Centro de Saúde do Samouco, que é agora (e apenas) Centro de Avaliação e Tratamento de doentes COVID-19.

A Junta de Freguesia foi assim informada que os motivos para a escolha do nosso Centro de Saúde para ser este Centro de Avaliação e Tratamento de doentes COVID-19 da região de Montijo e Alcochete se deve às condições do espaço, à segurança dos profissionais de saúde e dos utentes, e também por orientações superiores.

Voltamos a lamentar o facto de nunca a Junta de Freguesia ter sido informada à priori desta decisão, assim como não fora informada do encerramento sem aviso prévio do Centro de Saúde dias antes. Apresentámos também o nosso desagrado com a escolha deste local, essencial à população da nossa vila, pela sua localização no núcleo populacional e por existirem utentes que ficam, assim, privados de cuidados básicos que necessitam, muitos até semanalmente.

Apresentámos também soluções, como a utilização de espaços desportivos e culturais nos concelhos de Alcochete e do Montijo, que não prejudicariam a população do Samouco e o seu acesso a estes cuidados de saúde. A Junta de Freguesia sabe da importância da criação destes centros de controlo da pandemia, mas não está de acordo com a escolha do local por parte do ACES Arco Ribeirinho e manifestou-o por diversas vezes.

Fomos, contudo, informados de que não está pensada nenhuma alternativa ao nosso Centro de Saúde.

Nesse sentido, a Junta de Freguesia dispobilizou-se desde logo a cooperar e procurar soluções para amenizar os constrangimentos que esta decisão traz à nossa população. Como tal, uma vez que nem todas as consultas no Centro de Saúde de Alcochete serão presenciais mas sim via telefónica, a Junta de Freguesia disponibiliza-se a:

1) Recepcionar, via telefone ou e-mail, as necessidades de receituário que existem por parte da população e fará a ponte entre o utente e o Centro de Saúde de Alcochete, pensando no caso daqueles que poderão ter mais dificuldades.

2) Digitalizar e enviar para o Centro de Saúde de Alcochete os exames dos utentes, considerando que esta forma é mais fácil do que ditar os resultados pelo telefone, algo que nem todos conseguirão fazer. Depois, o médico entrará em contacto com o utente, por chamada telefónica.

3) No caso de transporte em caso de extrema necessidade, nomeadamente para aqueles que necessitam de se deslocar semanalmente ao Centro de Saúde, a Junta de Freguesia entrou em contacto imediato com a Câmara Municipal de Alcochete para, em conjunto, se conseguir encontrar uma solução de transporte viável para estas pessoas.

Apesar de continuarmos a discordar e ainda não compreendermos os motivos desta decisão, queremos encontrar as melhores soluções para a nossa população, que merece mais consideração por parte das autoridades de saúde. De referir que o Centro de Saúde sempre foi uma preocupação deste executivo e nunca deixámos de reivindicar mais e melhores cuidados de saúde para todos.

Esperamos que, depois do que estão a exigir da população do Samouco, não sejamos esquecidos e possamos, no futuro, ter os cuidados de saúde dignos que a vila do Samouco merece.

JF Samouco: bancos exterior Centro de Saúde

Centro de Saúde do Samouco passa a ser Centro de Avaliação e Tratamento de doentes com COVID-19

Foi com apreensão e lamento que a Junta de Freguesia foi informada de que o Centro de Saúde do Samouco foi um dos dois Centros de Saúde da Região do ACES Arco Ribeirinho – que envolve os concelhos de Alcochete, Montijo, Moita e Barreiro – destacados para a avaliação e tratamento de doentes com COVID-19. Assim, o nosso Centro de Saúde volta a estar encerrado para os cuidados básicos de saúde da nossa população.

À parte da nossa preocupação clara com esta pandemia com efeitos devastadores a nível mundial, entristece-nos que esta decisão tenha sido tomada sem ter em consideração dois factores muito importantes para a população da nossa vila:

  1. O facto de a população do Samouco ser, maioritariamente, composto por pessoas do considerado grupo de risco;
  2. E especialmente por, nessas condições, e uma vez que o Centro de Saúde encerra para os cuidados básicos, a população do Samouco ter de se deslocar a outros Centros de Saúde, muitas vezes sem condições para essas deslocações;

Depois de termos sido informados, sem aviso prévio, de que o Centro de Saúde estaria encerrado na passada semana e depois dos nossos contactos incessantes que acabaram por reverter essa situação – embora tenhamos tido conhecimento pelas redes sociais e nunca por contacto formal – a população vê-se novamente sem acesso a consultas e outros cuidados imprescindíveis, tendo de se deslocar a Alcochete em caso de necessidade.

Profundamente indignados com esta decisão, remetemos hoje ao Sr. Director do ACES Arco Ribeirinho um e-mail com um pedido expresso de esclarecimento sobre os motivos desta decisão, porque consideramos que a nossa população tem imperativamente de ter acesso a estes serviços, ainda que estejamos numa fase como a que vivemos actualmente.

O comunicado pode ser consultado na íntegra, abaixo:

Junta de Freguesia pede esclarecimentos pelo encerramento, sem aviso prévio, do Centro de Saúde do Samouco

Totalmente alheia aos motivos de encerramento do Centro de Saúde do Samouco, a Junta de Freguesia informa que já apresentou uma reclamação junto do Director Executivo do ACES Arco Ribeirinho, com um pedido expresso para a abertura do nosso centro de saúde, essencial para a nossa população.

Sabemos que atravessamos tempos difíceis mas consideramos que a população não poderá ficar privada do acesso a cuidados de saúde.

O comunicado já se encontra afixado nos locais públicos habituais, mas poderão também lê-lo aqui.

Junta de Freguesia reuniu com Director Executivo do ACES Arco Ribeirinho e reivindicou mais e melhores cuidados de saúde

Na sequência da reiterada falta de pessoal médico e auxiliar que se verifica na Extensão do Centro de Saúde de Alcochete no Samouco, o Presidente da Junta de Freguesia reuniu com o Director Executivo do Agrupamento de Centros de Saúde do Arco Ribeirinho, Dr. Miguel Lemos, no passado dia 1 de Outubro, apontando as falhas na prestação de serviços e exigindo mais e melhores cuidados de saúde.

Sendo uma unidade de saúde com capacidade e necessidade de prestar um melhor serviço, nas diversas exigências apresentadas, foi solicitado o reforço de pessoal médico, de enfermagem e auxiliar que possa dar resposta, de forma condigna, às necessidades da população do Samouco.

Acompanhado pela Dra. Raquel Bettencourt, do Conselho Clínico e de Saúde, e pelo Dr. Carlos Afonso, Coordenador do Centro de Saúde de Alcochete, o responsável do ACES Arco Ribeirinho assumiu o compromisso de trabalhar no reforço de pessoal, reconhecendo que o número de utentes é excessivo para a única médica que presta serviço na Extensão do Centro de Saúde de Alcochete no Samouco.

O Presidente da Junta de Freguesia, aproveitou ainda para informar a disponibilidade da autarquia para, em conjunto, se encontrar uma solução célere no sentido de se construir uma pala/abrigo que dê resposta à necessidade dos utentes que continuam, de madrugada e até à abertura das instalações, a ter que aguardar no exterior pela marcação das consultas.

Porque a saúde, e o acesso à mesma, é um direito, porque o ACES Arco Ribeirinho tem como missão “garantir aos cidadãos e à comunidade onde está inserido, enquanto grupo-alvo da sua intervenção de proximidade, uma maior acessibilidade à prestação de cuidados de saúde primários de qualidade”, e porque é imperioso dar resposta aos problemas da nossa população, a Junta de Freguesia continuará atenta, reivindicará e lutará, junto das entidades responsáveis, por serviços de saúde que respondam às necessidades de todos.

Junta de Freguesia reivindica mais e melhores cuidados de saúde

Devido à reiterada falta de pessoal médico e auxiliar que se verifica na Extensão do Centro de Saúde de Alcochete no Samouco, a Junta de Freguesia reivindicou, junto do Director Executivo do Agrupamento de Centros de Saúde Arco Ribeirinho, mais e melhores cuidados de saúde naquele unidade.

Entendemos que esta unidade de saúde tem capacidade para prestar um melhor atendimento e que a população da freguesia do Samouco não pode continuar privada de ter acesso a um serviço condigno e que dê resposta às suas necessidades.
Pensamos que é tempo das entidades responsáveis olharem para este problema de forma séria, dotando esta unidade de saúde dos meios humanos necessários, honrando assim a missão Garantir à população, da Região de Lisboa e Vale do Tejo, o acesso à prestação de cuidados de saúde, adequando os recursos disponíveis às necessidades e cumprir e fazer cumprir políticas e programas de saúde na sua área de intervenção” e a visão “Mais Saúde e Bem-estar para a Região de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, atingindo os melhores indicadores de saúde do país” da ARSLVT, factos que não se têm verificado.
Porque se torna imperioso termos uma solução e dar uma resposta à nossa população, solicitámos a máxima urgência para a resolução deste problema tendo a Junta de Freguesia, no passado dia 16 de Agosto, requerido uma reunião ao Director do ACES – Arco Ribeirinho, a qual continuamos a aguardar a sua disponibilidade.

Junta de Freguesia do Samouco: centro de saúde

Situação do Centro de Saúde: Junta de Freguesia já se reuniu com o Sr. Director do ACES do Arco Ribeirinho, Dr. Miguel Lemos

Foi ontem, dia 14 de Novembro, que a Junta de Freguesia do Samouco, na figura do Presidente Pedro Ferreira, se reuniu com o Sr. Director do ACES do Arco Ribeirinho – entidade que tutela a nossa extensão de saúde – o Dr. Miguel Lemos. Na reunião foram discutidas as preocupações do executivo relativamente à falta de médico de família no centro de saúde da freguesia para atender às necessidades da população.

Recordamos que, no dia 1 de Novembro, a Sr.ª Dr.ª Waleska Leal cumpriu o seu último dia de trabalho e sabemos agora que essa decisão por parte do ACES decorreu de um decreto governamental de redução de 35% das horas prestadas pela empresa, incidindo esta orientação nas zonas em que existe menos população sem médicos de família, lesando assim a população do Samouco. Infelizmente, é essa a regulamentação do governo, sobre a qual não temos qualquer controlo.

Após o conhecimento dessa notícia, a Junta de Freguesia, em conjunto com a Comissão de Utentes do Samouco, mobilizou esforços para dar a conhecer a realidade da nossa situação e reivindicar a reposição das condições de saúde que a população do Samouco merece. Assim sendo, entrámos de imediato em contacto, no dia 7 de Novembro, com o Sr. Dr. Carlos Afonso, responsável pelo Centro de Saúde de Alcochete, tendo-nos sido comunicado que a reposição do serviço médico aguarda decisão da ARS-LVT, estando previsto que o mesmo será efectuado pela Dr.ª Custódia Estrada. O comunicado foi por nós divulgado e pode ser consultado aqui.

Até a situação estar resolvida definitivamente foi-nos confirmado que os serviços mínimos do Centro de Saúde do Samouco iriam ser assegurados pelos médicos do Centro de Saúde de Alcochete, a partir de dia 13, segunda-feira, apenas durante o período da manhã, não satisfazendo o mesmo as necessidades da população.

Podemos agora confirmar, depois da reunião o Dr. Miguel Lemos, Director do ACES, que é verdade que as diligências estão a ser tomadas no sentido de a reposição do serviço médico ser assegurado, a tempo inteiro, pela Dr.ª Custódia Estrada, não se sabendo ainda a data concreta para o início das suas funções. Foi-nos transmitido que se espera que o processo possa estar concluído até ao final do presente ano.

Sobre a Sr.ª Dr.ª Waleska Leal, em Janeiro deste ano, numa altura em que existia a possibilidade de realizar contratos de trabalho directamente com os médicos, foi proposto à ARS-LVT a contratação directa da Doutora, não havendo qualquer resposta até ao presente momento. Não deixa de haver a esperança que exista uma resposta positiva por parte da administração no futuro.

Entendendo que a nossa unidade de saúde tem condições para receber mais médicos e que a população do Samouco tem essa carência, a Junta de Freguesia fez sentir essa necessidade, tendo a mesma sido partilhada pelo Sr. Director do ACES, admitindo que uma solução poderia passar por um médico a tempo inteiro e outro a meio tempo.

Foi também garantido que o Centro de Saúde do Samouco não vai fechar as suas portas. E no que depender deste executivo, tudo será feito para que a população não seja esquecida e tenha todas as condições que são nossas por direito e que fomos conseguindo ao longo destes últimos anos. Ter um médico de família a tempo inteiro é uma delas e também prover a nossa unidade de saúde de mais e melhores condições médicas.

Enviamos também um agradecimento especial à Comissão de Utentes do Samouco, que está connosco nesta luta.

 

A Junta de Freguesia do Samouco

Junta de Freguesia continua as diligências para resolução da situação da falta de médico no Centro de Saúde

Desde o conhecimento da falta de médico na Extensão do Centro de Saúde de Alcochete na Freguesia de Samouco, decisão que foi tomada sem ter em consideração as necessidades da nossa população, a Junta de Freguesia tem realizado vários contactos no sentido de encontrar resposta das entidades competentes, tendo como objectivo a resolução do problema com a necessária celeridade.

No passado dia 3 de Novembro, o Presidente da Junta de Freguesia foi recebido pela responsável dos recursos humanos do ACES – Agrupamento de Centros de Saúde do Arco Ribeirinho, tendo solicitado uma reunião com Sr. Director do agrupamento com carácter de urgência, que ontem foi agendada para dia 14 de Novembro.

Ainda no dia 3 de Novembro, a Junta de Freguesia, em conjunto com a Comissão de Utentes do Centro de Saúde, emitiram um comunicado, dando a conhecer, quer à população quer à Câmara Municipal, este assunto que muito nos preocupa e lamentando a falta de sensibilidade da tutela relativamente às necessidades da população do Samouco.

Constatando-se que a situação se mantém, o Presidente e o Secretário da Junta de Freguesia deslocaram-se, no dia de hoje, ao Centro de Saúde de Alcochete tendo sido recebidos pelo Dr. Carlos Afonso, responsável por aquela unidade de saúde.

Na reunião foi dada a informação que a situação da reposição do serviço médico aguarda decisão da ARS-LVT, estando previsto que o mesmo será efectuado por uma médica que se encontra em situação de reforma.

Foi ainda possível obter a informação que, de forma temporária e presumivelmente a partir da próxima segunda-feira, dia 13 de Novembro, o serviço será assegurado pelos médicos do Centro de Saúde de Alcochete, apenas durante o período da manhã, não satisfazendo o mesmo as necessidades da nossa população.

De acordo com o responsável do Centro de Saúde de Alcochete, a falta de médicos é uma preocupação que tem vindo a ser comunicada à tutela, que teima em não dar a resposta adequada. Exemplo desta atitude é o facto de, numa altura em que existe a possibilidade de realizar contratos de trabalho directamente com os médicos, em Janeiro do presente ano foi proposto à ARS-LVT a contratação directa da Srª Drª Waleska Leal, não tendo sido dada qualquer resposta até ao presente momento.

Entendendo que a Extensão do Centro de Saúde de Alcochete na Freguesia de Samouco é uma unidade com condições para receber mais médicos e que só assim será possível dar resposta às necessidades da nossa população e aos problemas da inexistência de médico de família, a Junta de Freguesia estará, como tem estado desde a primeira hora, envolvida nesta luta, reivindicando junto das entidades competentes o direito a melhores serviços de saúde.

A Junta de Freguesia de Samouco

 

Comunicado à população: Situação do Centro de Saúde do Samouco

Informamos à população que a Junta de Freguesia, em conjunto com a Comissão de Utentes do Samouco, se encontra neste momento em diligências para restituir com a maior brevidade possível um médico ao nosso centro de saúde, privado de serviços de saúde desde dia 1 de Novembro, quando a Srª Drª Waleska Leal foi informada pela sua empresa de que não continuaria a trabalhar como médica de família da freguesia.

Foi com profunda indignação que soubemos desta decisão da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS-LVT), já depois da tentativa feita no passado de diminuir o número de horas de serviço da Srª Drª Waleska.

O direito a um médico de família e cuidados de saúde é para nós fundamental e não deixaremos de reivindicar os nossos direitos, pelo e para o bem-estar da nossa população.

Leia na íntegra o comunicado que aqui disponibilizamos.

Comunicado_CentroSaude